Em Americana-SP, SISEM desmente prefeito Marcos Trad sobre a readequação da carga horária dos ACS e ACE

Em visita ao município paulista de Americana, distante 901 km de Campo Grande, no último dia 25 de setembro, o presidente do SISEM, Marcos Tabosa foi conhecer de perto o projeto que o Executivo Municipal, comandado pelo prefeito  Omar Najar, do PMDB, pratica em favor dos ACS e ACE readequando sua carga horária, proporcionando muitos benefícios para a população e para os servidores, sem prejuízo aos cofres públicos, derrubando a tese do prefeito Marcos Trad (PSD) para não conceder este benefício em Campo Grande.

Recebido com grande entusiasmo pelo presidente do sindicato dos servidores municipais daquela cidade, Antônio Fortes, Tabosa ouviu dele e de alguns ACS os benefícios proporcionados a todos pela conquista da categoria, obtido pelo esforço e unidade dos ACS e ACE que souberam com sabedoria e determinação convencer o Executivo Municipal da importância de trabalhar com uma carga horária readequada para ser mais produtiva e eficiente.

A iniciativa teve apoio do vereador Davi Ramos (PCdoB), eleito pelos servidores, que após realizar estudos e verificar a eficiência de um trabalhador satisfeito e realizado na sua missão de adentrar nas casas das pessoas e atendê-las em suas necessidades, apresentou o projeto na Câmara Municipal, obtendo o aval dos demais pares e do próprio prefeito, onde o projeto previa 06 (seis) horas em campo e 02 (duas) para relatórios em lugar definido pelo servidor.  A partir daí, os resultados positivos foram aparecendo e todos ficaram satisfeitos. “Os estudos que realizamos apontavam que seis horas eram suficientes para os ACS e ACE realizarem seu trabalho diário e que as duas horas eram perdidas, pois não se produzia nada e só causavam estafa e cansaço no servidor, com o projeto melhorou substancialmente a qualidade de vida desses servidores. O administrador que não entende isso, tem mente de lambari”, afirma Davi Ramos.

Na Prefeitura de Americana, Tabosa foi recebido pelo secretário de governo Junior Barros, onde teve informações consistentes de como o projeto de readequação de carga horária dos ACS e ACE foi bom para o município. Segundo o secretário, quem ganhou com o projeto foi a população, pois o atendimento passou a ser mais eficiente; as metas foram ampliadas e os atestados médicos simplesmente acabaram, tudo isso sem perder nenhum centavo dos repasses federais.

O secretário de governo Junior Barros afirmou que bastou vontade política do Executivo para implantar o projeto de readequação da carga horária no município, afinal não causou nenhum prejuízo, muito pelo contrário, pois os resultados ficaram acima do preconizado pelo Ministério da Saúde de 40 horas semanais e, portanto não havia motivo para não se implantar esta lei que valoriza o servidor, melhora o atendimento a população e a qualidade de vida da categoria, sem causar prejuízo aos cofres públicos. “Quero agradecer os companheiros Davi Ramos, Paulo Sérgio da Silva (Paulinho) presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários de Americana e Região e seu diretor Saia, o secretário de governo Junior Barros, Antônio Fortes, presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Americana, a Agente comunitária de Saúde Kelly Feitosa, sem esquecer o apoio do grande companheiro defensor dos ACS e ACE, Samuel Camêlo, coordenador geral da MNAS (Mobilização Nacional dos Agentes de Saude). Com esta viagem provamos que é possível trazer o projeto de Americana para Campo Grande e contamos não só com o apoio da Câmara de Vereadores, mas também do prefeito Marcos Trad, que em campanha prometeu que faria de tudo para melhorar a qualidade de vida dos agentes”, finalizou Tabosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*