Bernal confessa que só Sisem pode negociar pelos servidores municipais

bernal confessa que só Sisem pode representar servidoresO prefeito Alcides Bernal (PP) questionou na justiça a legitimidade de sindicatos apócrifos na base municipal, ou seja, entidades sem representação legal para negociar ou impetrar ação judicial por qualquer categoria, sem o reconhecimento do Ministério do Trabalho, através da carta sindical.

A confissão foi feita neste sábado, dia 5 de março, na edição 4.134, na página A6, do jornal “O Estado”, na reportagem intitulada “Prefeitura contesta legitimidade de sindicato para entrar com ação”, onde solicita ao Judiciário que desqualifique o SINTESP (Sindicato dos Trabalhadores em Saúde Pública no Município de Campo Grande) na ação que o sindicato moveu contra o município que pretende conceder aumento salarial aos professores, representado pela ACP (Sindicato Campograndense dos Professores) por não ter carta sindical emitida pelo MTE e desta forma, legalidade para representar alguma categoria no município.

O SISEM (Sindicato dos Funcionários e Servidores Municipais de Campo Grande), além dos professores e fiscais de rendas é o único sindicato com representação com carta sindical, estranhou esta nova postura do chefe do Executivo, pois em 2013, com a desculpa para prejudicar o SISEM na sua representação sindical, impetrou na Justiça ação em que alegava dificuldades para repassar o imposto sindical e associativo dos servidores filiados ao SISEM, em função de haver mais outras três entidades sindicais na base municipal de Campo Grande: SINTRAN, SINDGUARDA e SINTESP, todos apócrifos, sem carta sindical.

Além de reter o repasse da contribuição sindical e associativa, Bernal fez dura oposição ao SISEM, fortalecendo esses pseudos-sindicatos, financiando inclusive, uma chapa de oposição a atual diretoria, mas que felizmente saiu derrotado. Agora vem a público confessar que esses sindicatos não valem nada, ou seja, não tem moral, legalidade e representação para pedir, negociar ou impetrar ação judicial contra qualquer que seja, pois não tem legalidade para representar nenhuma categoria no serviço público municipal.

O presidente do SISEM, Marcos Tabosa lembrou o período “negro” que Bernal impôs ao sindicato, mas postou-se firme e combativo na época, lutando com todas as forças e impedindo que o prefeito Alcides Bernal fechasse o sindicato e que a chapa encabeçada por seus representantes vencesse a eleição. Fortalecido e preparado para novos embates, Tabosa deixa claro que continuará firme na defesa dos servidores, bem como defenderá com vigor o nome da instituição SISEM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*