SISEM pede prisão do prefeito Bernal e secretário de Finanças por causa de salário dos servidores

Por conta de desobediência judicial, o SISEM (Sindicato dos Funcionarios e Servidores Municipais de Campo Grande) pediu a prisão do prefeito Alcides Bernal e do secretário de Planejamento, Finanças e Controle, Disney Fernandes, por insistir em pagar parcelado o salário dos servidores municipais associados ao sindicato.

A medida adotada pelo SISEM, através do presidente Marcos Tabosa, visa preservar a integridade econômica de seus associados, conquistado no Judiciário do MS, no último dia 29 de setembro, com liminar concedida pelo juíz Marcelo Ivo de Oliveira, da Justiça Comum, que vetou a intenção do prefeito Bernal de sacrificar os servidores em função de outros projetos.

Além de proibir o prefeito de parcelar o salário dos servidores, o juíz Marcelo Ivo, estipulou multa diária de R$ 5 mil, bem como determinou que o Executivo fizesse o pagamento dos associados ao sindicato até o 5º dia útil, como determina a lei. Outra liminar impetrada pelo SISEM que pleiteia o pagamento integral do 13º salário dos servidores associados, aguarda decisão judicial para salvaguardar este direito do trabalhador.

Para tentar enganar o Judiciário e a determinação do juíz Marcelo Ivo de Oliveira, o prefeito Alcides Bernal engendrou uma infantil artimanha jurídica, própria dos causídicos em início de carreira ao desprezar a inteligência do magistrado na sua decisão. O “gênio” Bernal enviou uma petição ao Judiciário, na primeira instância, pedindo que o sindicato enviasse a lista dos servidores associados para fazer o pagamento integral do salário como determinado pelo magistrado, tudo para ganhar tempo e ao mesmo tempo  impetrou com uma ação, na segunda instância, tentando derrubar a liminar concedida pelo juíz Marcelo Ivo de Oliveira.

Mas a artimanha do prefeito Bernal caiu no ridículo ao se verificar, que como responsável pelo repasse da contribuição dos servidores associados, ele tem a relação e sabe, melhor do que ninguém quem está protegido pela decisão judicial. Mas para evitar um confronto desnecessário, o sindicato enviou a relação dos servidores associados ao Executivo Municipal que mesmo assim manteve a posição de parcelar o salário de todos os servidores, descumprindo a decisão judicial e sujeito às penalidades previstas na lei, por crime de desobediência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*